brujos-del-poder-br-600x310

Muitos presidentes e líderes da América Latina, ao longo da história recente da região, foram acusados de ter estado em contato com bruxos e de participar de experiências esotéricas durante os seus períodos políticos. O especial de duas horas Bruxos e o Poder, que o HISTORY estreia no sábado, analisa os casos mais relevantes envolvendo políticos e líderes poderosos que se relacionaram ou tiveram o auxílio de bruxos, magos, xamãs ou líderes espirituais em países da América Latina.

Por meio de reconstituições, depoimentos exclusivos e vasto material de arquivo, Bruxos e o Poder se aprofunda nessas histórias, algumas ainda em andamento, e também em outras já conhecidas, inclusive com a ocorrência de fatalidades e acontecimentos enigmáticos no percurso.

Tomemos o exemplo de Hugo Chávez (1954-2013): no dia 15 de julho de 2010, o então presidente venezuelano exumava o cadáver de Simón Bolivar. Três anos mais tarde, em 5 de março de 2013, o líder político da Venezuela falecia de câncer. Desde então surgiu uma onda de boatos e muitos passaram a afirmar que existiria uma relação direta entre os dois eventos. Afirmam que desenterrar os restos de Bolívar foi um ato motivado por rituais obscuros… Mas até que ponto é possível que essa versão faça algum sentido?

No México, no dia 1º de dezembro de 2000, Vicente Fox assumia a presidência de um dos maiores países latino-americanos. Sua eleição marcou o final de um período de 71 anos durante o qual todos os presidentes do México eram militantes do Partido Revolucionário Institucional.

Fox passou os seus primeiros anos de vida no Rancho San Cristóbal, na companhia de seus oito irmãos. Em 1988, foi eleito deputado federal pelo estado de Guanajuato. Lá ele conheceu Marta Sahagún, uma ex-professora de inglês a quem nomeou porta-voz durante o seu governo em Guanajuato e, mais tarde, porta-voz da Presidência, o que a levou a adquirir um elevado protagonismo nos meios de comunicação e um alto nível de popularidade. Desde o primeiro momento, porém, a relação entre os dois esteve manchada pelos boatos que rodeavam Marta e seus familiares: Marta Sahagún, já desde a época de Guanajuatao e também depois, quando que era porta-voz da Presidência, gostava de bruxaria.

Já na Argentina, o então ministro peronista López Rega usava o corpo embalsamado de Evita para “passar” os poderes dela para Isabelita, sua esposa e vice-presidente do país na fase final do peronismo. Muitos são os presidentes latino-americanos, de todos os tempos, que foram acusados de haver estado em contato com bruxos, de ter praticado a bruxaria ou de haver sofrido os seus embates.

Mas que evidências teriam motivado esses boatos? E o que se esconde por trás dessas versões? São justamente histórias como essas, repletas de desconfiança, boatos e fatos dúbios, que o especial original e inédito Bruxos e o Poder tenta esmiuçar.

*O programa será reprisado em 26/4, domingo, às 8h15 e às 14h