Renan Carvalho vem se destacando no cenário literário contemporâneo com histórias fantásticas, que além de entreter, também fazem o leitor pensar sobre temas importantes e atuais. Para ele, não basta escrever uma história que prenda, é preciso despertar o senso crítico nos jovens.

Em 2015, ele lançou sua série Supernova, uma fantasia recheada de intrigas, guerras e magia. Narrando as aventuras do herói Leran, o autor apresenta todo um novo mundo mágico, repleto de intrigas. Em dois volumes, Renan conseguiu atrair um público fiel e envolvido nesse universo literário épico. Seus fãs o seguem fielmente nas redes sociais e o inspiram a escrever cada vez mais.

No primeiro volume, Supernova – O encantador de flechas, o personagem Leran precisa descobrir sobre os poderes que possui para combater um governo tirano que oprime a população de seu reino. A ideia de escrever o conflito do Encantador de Flechas surgiu em 2011, quando o autor percebeu o quanto o Brasil é diferente de outros países, considerados de Primeiro Mundo. A falta de infra-estrutura, as pesadas taxas de impostos, a corrupção e os serviços públicos precários trazem o contexto sociocultural que inspirou Acigam, a cidade da história de Supernova. Mas o livro não apresenta apenas o lado dos oprimidos. Após reviravoltas e uma mudança no ponto de vista da história, o leitor precisará chegar a suas próprias conclusões e decidir quem está certo ou errado.

Continuando a aventura, Supernova 2 – A estrela dos mortos é sequencia que os leitores esperavam. Apresentando novos personagens e ampliando o mapa da narrativa, o livro consegue introduzir o leitor a mais

questões sobre a verdade detrás do universo criado por Renan. O sucesso da série rendeu a venda dos direitos para uma produção animada, que já está aprovada na Ancine e deve começar a captar recursos em 2017.

Seu livro mais recente, Heróis [email protected] Internet, traz uma nova história, fora da série Supernova. Nele, o escritor inventou um ambiente completamente distinto dos quais já escreveu sobre. Ambientada no mundo virtual, a aventura fantástica dessa obra faz um apelo social muito grande. Ela introduz personagens que são, geralmente, deslocados na sociedade comum, seja por condições físicas, de saúde, ou psicológicas. O título abre a mente dos jovens e incentiva a aceitação das diferenças entre eles.

Na história, o jovem Ítalo precisa salvar todos de uma ameaça no mundo virtual, a qual trancafiou a mente de diversas crianças na rede – inclusive o irmão mais novo do herói. Determinado a libertá-las, Ítalo contará com a ajuda de um grupo nada comum: um garoto com problemas de peso mas capaz de carregar toneladas, uma garota cadeirante exímia em artes marciais, uma míope com ótima pontaria e um velocista asmático. Crianças comuns no mundo real, mas heróis no mundo virtual.